segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Sonetos de amor


Saberás que não te amo e que te amo
posto que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem uma metade de frio.

Eu te amo para comerçar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.

Te amo e não te amo como se tivesse
em minhas mãos as chaves da fortuna
e um incerto destino desafortunado.

Meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.


* Pablo Neruda *

16 Comentários:

Anonymous Erika disse...

Neruda é tu-do

Beijo

13 agosto, 2007 19:33  
Blogger Jac C. disse...

"Meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.


Lindo isso, não?
Puro amor!
Plabo Neruda é inquestionável.

Bjs e uma boa semaninha pra vc!

13 agosto, 2007 20:48  
Blogger Vieira Calado disse...

"a palavra é uma asa do dilêncio" é uma bela imagem.
Boa semana.

13 agosto, 2007 21:24  
Blogger empty disse...

neruda me fascina...
sempre.
belo demais teu espaço.
abraço.

13 agosto, 2007 23:49  
Blogger empty disse...

perdoe-me a invasão...
cheguei até aqui pelo espaço da sanka!
inté.

13 agosto, 2007 23:50  
Anonymous Cin disse...

Oi Flor
Vortei rs
Lindos poema e imagem. Adoro Neruda.
Bjinhos
PS: Gostei do post de esclarecimento abaixo, acho q todo blogueiro já sentiu na pele isso q vc falou.

14 agosto, 2007 01:15  
Blogger Jana disse...

Lindo isso!

Beijos

14 agosto, 2007 16:28  
Blogger Alê Namastê disse...

Ai, Dani! Que gostoso ler isso...Viva!

14 agosto, 2007 16:54  
Blogger lyS disse...

Neruda A-D-O-R-O!!!
A foto que ilustra o poema mostra que o amor é inocente.

14 agosto, 2007 19:09  
Blogger Jac C. disse...

Oi Dani, é sim... que maridão eu tenho, viu!
Valeu e tá valendo a pena, graças a Deus.
Beijinhos!
Sempre bom ter vc no "Asas".

14 agosto, 2007 20:35  
Blogger ki-colado disse...

Se hovesse consistência nos sentimentos a vida tornar-se-ia insosa, sem nuances de variantes, e morta pelas rotinas.


Ter e não ter,
Ser e não ser,
Tudo e nada.
Forma vida.

14 agosto, 2007 20:39  
Blogger empty disse...

agradeço a visita e as palavras, moça.
bjos.

14 agosto, 2007 22:44  
Blogger empty disse...

então...
também não seu como dou conta, minha vida já é uma correria louca...
me divido em me esconder e escrever feito louco ou tentar me ocupar, pra não pensar em coisas que não esqueço...
enfim.
agradeço novamente as palavras, volte sempre!

beijos.

14 agosto, 2007 22:58  
Blogger Anne disse...

Oi, Dani!!! Realmente, Neruda escreve e descreve maravilhosamente...adoro ele!!!
Que fofinhos esses 2 na foto...gosto demais de crianças.
Gostei do seu cantinho, voltarei!
Bjos

14 agosto, 2007 23:05  
Anonymous Danny disse...

Lindo! Lindo! Lindo!

14 agosto, 2007 23:10  
Blogger Marilac disse...

Lindo, lindo!!!
Neruda sempre me deixa assim encantada..! Ainda não conheço muito bem a obra dele mas vou me apaixonando a cada descoberta!
bjs

17 agosto, 2007 13:18  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial